Mercado Hoteleiro sofre efeitos da crise econômica

blog3De acordo com a quinta edição do informativo hoteleiro da MSH Gestão Hoteleira, braço da M.Stortti especializado no mercado hoteleiro, 2015 tem representado um período difícil da economia brasileira, onde os indicadores de atividade econômica apresentam resultados negativos e sem perspectiva de recuperação no curto prazo. O boletim mostra que o abatimento da economia, agravado pelo ajuste fiscal além da desvalorização do câmbio, impactaram tanto no volume de investimentos quanto no consumo. Desse modo, o turismo e hotelaria, assim como diversos segmentos vem sentindo seus efeitos.

O FOHB – Fórum de Operadores Hoteleiros do Brasil, afirma que, de janeiro a maio de 2015 os efeitos da estagnação da economia se refletiram em quedas na taxa de ocupação, representando -9,2% e na diária média -0,2% em relação a igual período no ano de 2014. No acumulado de janeiro a maio de 2015, as quedas registradas foram de -5,9% na taxa de ocupação (taxa obtida da divisão do número total de apartamentos ocupados pelonúmero de apartamentos disponíveis no ano) e elevação de 1,6% na diária média.

DA REDAÇÃO O ESTADO ONLINE
Fonte: Painel WH (Assessoria de Imprensa M.Stortti)
(NR)

http://www.oestadoce.com.br/noticia/mercado-hoteleiro-sofre-efeitos-da-crise-economica

http://www.oestadoce.com.br/noticia/mercado-hoteleiro-sofre-efeitos-da-crise-economica

As concessões no Brasil e suas circunstâncias políticas

por Maurênio Stortti

No período do governo FHC na presidência do Brasil, as questões políticas relevantes eram a Inflação ,a pobreza, o desemprego e a falta decrescimento, todas elas na verdade derivadas do problema inflacionário que corroía o poder de investimento do País.

Diante da impotência de fazer caixa com os próprios meios, o modelo FHC propôs a PRIVATIZAÇÃO de alguns ativos públicos, aliás na esteira do que havia sido feito no modelo MENEN na Argentina, com a privatização dos aeroportos, da Aerolineas Argentinas entre outras. No Brasil se deu as rodovias, as ferrovias no que resultou na ALL por exemplo.

Continuar lendo

Terroir Vinhedos Exclusivos inicia produção de uvas 

Terroir Vinhedos Exclusivos inicia produção de uvas GARIBALDI (RS) – Tem inicio a fase de plantações das uvas Chardonnay e Pinot Noir no Terroir Vinhedos Exclusivos, primeiro condomínio vitivinícola de luxo no Brasil, em Garibaldi. A assessoria é da Vivícola Geisse para uma produção que comportará três anos de amadurecimento dos espumantes nas caves.

Continuar lendo

Synthos no Brasil

Reportagem de capa do Jornal do Comércio atualiza informações sobre a instalação da Synthos no Brasil.

Companhia polonesa aguarda o desfecho das negociações entre Braskem e Petrobras

Obras da Synthos estão incertas
Início da construção da unidade no Polo Petroquímico de Triunfo era previsto até abril

Continuar lendo

Mercado Imobiliário, edição 12

O ano de 2015 inicia para o setor refletindo os acontecimentos da conjuntura da economia brasileira. Como resultado de crescimento muito baixo, inflação alta, câmbio valorizado e déficit na conta corrente, os diversos setores da economia sentem-se impactados. No mercado imobiliário, os reflexos de um crescimento pífio aliados ao volume de estoques gerados nos últimos anos em decorrência do boom imobiliário tornam o cenário comedido e com menor dinamicidade. Leia mais nesta edição do boletim editado bimestralmente pela MS Properties, empresa do grupo M.Stortti focado em negócios imobiliários.

 

 

Mercado Imobiliário, edição 12 by MaurenioStortti

Synthos no Brasil

Polonesa Synthos é representada no Brasil pelo Grupo M.Stortti.

Planta de resinas iniciará no polo petroquímico de Triunfo.

Exibindo IMG-20150121-WA0000.jpg

Representante da Synthos no Brasil, Maurênio Stortti, cumprimenta o Governador do Rio Grande do Sul, José Ivo Sartori, em reunião que formaliza o investimento de R$ 640 milhões da fábrica polonesa de borrachas ESBR e poliestireno expandido (EPS) no pólo petroquímico de Triunfo. Encontro aconteceu no dia 20 de janeiro de 2015 no Palácio Piratini.

 

Jornal do Comércio (21/01/2015)

Imagem inline 1

 

Marta Sfredo – Zero Hora (21/01/2015)

Imagem inline 1

 

Jornal Correio do Povo  (21/01/2015)

 

Grupo polonês pretende iniciar obras de fábrica de borracha no RS em abril

Executivos da Synthos pediram agilidade para a concessão de licenças e combate ao “dumping”

Executivos do grupo polonês Synthos, líder europeu na fabricação de borrachas ESBR e poliestireno expandido (EPS), confirmaram ao governador José Ivo Sartori um investimento previsto de até R$ 640 milhões na instalação de uma fábrica de borracha em Triunfo, na região Metropolitana. Em reunião no Palácio Piratini, na tarde desta terça-feira, os investidores apresentaram o projeto e afirmaram ter planos de iniciar as obras em abril.

Para isso, solicitaram agilidade nas questões de liberação ambiental e de proteção contra o chamado dumping, que é a prática utilizada por algumas empresas de colocar no mercado produtos abaixo do custo para eliminar concorrentes.

Segundo o diretor executivo do grupo, Zbigniew Warmuz, a Synthos já dispõe de licença ambiental (LA) concedida pela Fepam, mas é preciso avançar na licença de operações (LP) e na licença de instalação (LI). “Pretendemos começar a execução da unidade, no máximo, no início de abril e concluí-la em dois anos”, afirmou. A produção prevista para a nova fábrica é de 80 a 90 mil toneladas ao ano. O empreendimento deve gerar 150 empregos na fase de operação.

“Valorizamos todo investidor que escolhe o Rio Grande para se instalar e produzir. Vamos resolver rapidamente a questão ambiental juntamente com a prefeitura de Triunfo”, disse Sartori. Sobre a preocupação com o dumping, o governador informou que o assunto vai ser tratado dentro dos próximos 15 dias com o governo federal.

http://www.correiodopovo.com.br/Noticias/546934/Grupo-polones-pretende-iniciar-obras-de-fabrica-de-borracha-no-RS-em-abril

 

 

 

Portal G1 RS (21/01/2015)

 

Grupo polonês confirma investimento de R$ 640 milhões no RS, diz governo

Objetivo é iniciar obras de unidade em Triunfo até abril deste ano.
Investidores cobram “agilidade” na liberação de licenças ambientais.

Grupo polonês investirá R$ 640 milhões em fabricação de borracha no Estado

Representantes de empresa europeia se reuniram
com José Ivo Sartori no Palácio Piratini
(Foto: Luiz Chaves/Palácio Piratini)

Executivos do grupo polonês Synthos S/A, que atua na fabricação de borrachas ESBR e poliestireno expandido (EPS), confirmaram nesta terça-feira (20) um investimento de R$ 640 milhões na instalação de uma unidade em Triunfo, na Região Carbonífera do Rio Grande do Sul. A informação é do governo estadual. Em reunião no Palácio Piratini na tarde desta terça-feira (20), os investidores apresentaram o projeto e afirmaram que planejam iniciar as obras em abril.

De acordo com o executivo gaúcho, os investidores solicitaram “agilidade nas questões de liberação ambiental” e proteção diante do risco de dumping, que é a prática utilizada por algumas empresas de colocar no mercado produtos abaixo do custo para eliminar concorrentes.

Segundo o diretor executivo do grupo, Zbigniew Warmuz, a Synthos tem licença ambiental concedida pela Fundação Estadual de Proteção Ambiental (Fepam), mas será preciso avançar na licença de operações e na licença de instalação. “Pretendemos começar a execução da unidade, no máximo, no início de abril e concluí-la em dois anos”, afirmou. A produção prevista para a nova fábrica é de 80 a 90 mil toneladas ao ano, diz o governo.

“Valorizamos todo investidor que escolhe o Rio Grande para se instalar e produzir. Vamos resolver rapidamente a questão ambiental juntamente com a prefeitura de Triunfo”, disse o governador gaúcho, José Ivo Sartori (PMDB). Sobre a preocupação com o dumping, o governador informou que o assunto será tratado dentro dos próximos 15 dias com o governo federal.

De acordo com o secretário estadual de Desenvolvimento Econômico, Ciência e Tecnologia, Fábio Branco, a reunião “foi altamente positiva, uma vez que o grupo ratificou a escolha do Rio Grande do Sul para um empreendimento que vai gerar 150 empregos na fase de operação”.

http://g1.globo.com/rs/rio-grande-do-sul/noticia/2015/01/grupo-polones-confirma-investimento-de-r-340-milhoes-no-rs-diz-governo.html

 

Governo do Estado do Rio Grande do Sul (20/01/2015 às 17:30)

Grupo polonês investirá R$ 640 milhões em fabricação de borracha no Estado

Grupo polonês investirá R$ 640 milhões em fabricação de borracha no Estado
Confirmação da escolha do Rio Grande do Sul pela Synthos S/A foi anunciada ao governador no Palácio Piratini – Foto: Luiz Chaves/Palácio Piratini – Download HD (1,22 MB)

Executivos do grupo polonês Synthos S/A, líder europeu na fabricação de borrachas ESBR e poliestireno expandido (EPS), confirmaram ao governador José Ivo Sartori o investimento previsto de até R$ 640 milhões na instalação de uma fábrica de borracha em Triunfo, na Região Metropolitana. Em reunião no Palácio Piratini, na tarde desta terça-feira (20), os investidores apresentaram o projeto e afirmaram que planejam iniciar as obras em abril.

Para isso, solicitaram agilidade nas questões de liberação ambiental e de proteção contra o chamado dumping, que é a prática utilizada por algumas empresas de colocar no mercado produtos abaixo do custo para eliminar concorrentes.

Segundo o diretor executivo do grupo, Zbigniew Warmuz, a Synthos  tem   licença ambiental (LA) concedida pela Fepam, mas será preciso avançar na licença de operações (LP) e na licença de instalação (LI). “Pretendemos começar a execução da unidade, no máximo, no início de abril e concluí-la em dois anos”, afirmou. A produção prevista para a nova fábrica é de 80 a 90 mil toneladas ao ano.

“Valorizamos todo investidor que escolhe o Rio Grande para se instalar e produzir. Vamos resolver rapidamente a questão ambiental juntamente com a prefeitura de Triunfo”, disse Sartori. Sobre a preocupação com o dumping, o governador informou que o assunto será tratado dentro dos próximos 15 dias com o governo federal.

De acordo com o secretário estadual de Desenvolvimento Econômico, Ciência e Tecnologia, Fábio Branco, a reunião “foi altamente positiva, uma vez que o grupo ratificou a escolha do Rio Grande do Sul para um empreendimento que vai gerar 500 empregos durante a construção e 150 vagas na fase inicial de operação”.

Texto: Anamaria Bessil

Edição: Redação Palácio Piratini/Coordenação de Comunicação Social

http://www.rs.gov.br/conteudo/210062/synthos-confirma-investimento-na-unidade-gaucha-do-grupo-no-rs

 

Colunista Políbio Braga (20/01/2015)

Poloneses confirmam investimento de RR$ 640 milhõeds em Triunfo, RS

Executivos do grupo polonês Synthos S/A, líder europeu na fabricação de borrachas ESBR e poliestireno expandido (EPS), confirmaram ontem o investimento previsto de até R$ 640 milhões na instalação de uma fábrica de borracha em Triunfo, na Região Metropolitana. Os investidores apresentaram o projeto e afirmaram que planejam iniciar as obras em abril.
. Para isso, solicitaram agilidade nas questões de liberação ambiental e de proteção contra o chamado dumping, que é a prática utilizada por algumas empresas de colocar no mercado produtos abaixo do custo para eliminar concorrentes.
. Segundo o diretor executivo do grupo, Zbigniew Warmuz, a Synthos tem licença ambiental (LA) concedida pela Fepam, mas será preciso avançar na licença de operações (LP) e na licença de instalação (LI). “Pretendemos começar a execução da unidade, no máximo, no início de abril e concluí-la em dois anos”, afirmou. A produção prevista para a nova fábrica é de 80 a 90 mil toneladas ao ano.

Licenciamento ambiental será feito pela prefeitura, o que deve agilizar processo

Garibaldi: obra no Esqui pode começar em 60 dias

Fotos: Divulgação/M.Stortti

10/10/2014

Mais de 13 anos depois da desativação, o Parque Esqui Presidente Médici, em Garibaldi, finalmente está prestes a passar por uma remodelação completa. As obras devem começar em um prazo estimado de dois meses, segundo o prefeito Antônio Cettolin. Para o início efetivo do trabalho, falta apenas o licenciamento ambiental, que será feito pela própria prefeitura. A possibilidade de agilização do processo se deve a uma mudança nas competências municipais para emissão de licenças, anunciada pela Famurs na última semana. O novo texto da Resolução 102 redefiniu a lista de atividades de impacto local, permitindo que as prefeituras façam intervenções em áreas maiores. “O trâmite de um processo de licenciamento na Fepam pode levar três anos. Com a prefeitura tendo autonomia, acredito que possamos concluir em cerca de dois meses”, comemora o prefeito. Continuar lendo