CAIS MAUÁ

DE MADRI PARA PORTO ALEGRE

Correio do Povo 06/02/13

O B720 Fermín Vasquez, formado em 1997, é um dos importantes escritórios europeus de arquitetura e tem projeção mundial, com um extenso portfólio de trabalhos, do planejamento urbano ao design industrial. Possui sedes em Madri e Barcelona, e está no Brasil desde 2007, com filiais em São Paulo e Porto Alegre. Além de ter vencido o concurso público para requalificação da área portuária de Porto Alegre, recentemente saiu vencedor de outra escolha desse tipo: a revitalização do Parque Paranoá, em Brasília.

A escolha foi organizada pelo Instituto de Arquitetos do Brasil (IAB) e Secretaria de Habitação, Regularização e Desenvolvimento Urbano (SEDHAB-DF). Ainda na capital federal, está trabalhando em um projeto para criar um bairro totalmente sustentável sobre uma área de 350 hectares.

O escritório de arquitetura do espanhol Fermín Vasquez está envolvido em outros trabalhos no Brasil: um condomínio residencial na Lapa, no Rio de Janeiro (RJ), um projeto comercial na Vila Madalena e um hotel no bairro Itaim, em São Paulo (SP), além de um centro comercial em Campinas e um projeto urbanístico na cidade de São José do Rio Preto, municípios do estado de São Paulo.

As obras mais conhecidas do b720 estão na Espanha, como a moderníssima Torre Agbar, em Barcelona (junto com o arquiteto francês Jean Nouvel), o aeroporto de Lleida, na Catalunha, a praça Toricom, em Teruel, o Centro de Convenções La Mola, o Casino de Lloret del Mar, a Ciudad de La Justicia e o edifício Copa América. Os projetos de algumas delas foram expostos em conceituados museus internacionais, como o Moma de Nova Iorque, o Cité de Paris e a Bienal de Veneza.

Conforme Vasquez, o projeto de revitalização do Cais Mauá é o único no mundo que privilegia o centro histórico de uma cidade. O arquiteto, nascido em Madri em 1961, cursou a ETSAM – Escuela Técnica Superior de Arquitectura de Madrid e na ETSAB (Barcelona). Atualmente alia a prática profissional com a docência, dando aulas em importantes escolas de arquitetura na Europa.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *